RFID aplicado na automação de processos logísticos

Fazer com que uma operação logística seja algo mais rentável, ágil e eficiente com certeza é um dos principais objetivos dos gestores e dos empreendedores responsáveis por esse setor dentro de uma empresa. E sabe o que pode ajudar em tudo isso? A tecnologia RFID.

Com o avanço da tecnologia e com os investimentos em inovação cada vez maiores, novas metodologias e formas de trabalho e equipamentos foram surgindo. E esse é o caso da tecnologia RFID que foi mencionada acima. O principal objetivo dessa tecnologia é melhorar a gestão de fluxo de materiais, para que o gestor consiga receber dados atualizados a respeito dos níveis de estoque, assim como ter acesso à localização das cargas nas viagens.

Em inglês, a sigla RFID significa Radio Frequency Identification, podendo ser traduzida literalmente como Identificação por Radiofrequência. No entanto, no Brasil o termo que está causando grandes evoluções tecnológicas na área de logística é mais conhecido como etiquetas inteligentes.

Alguns especialistas em novidades tecnologias afirmam até mesmo que em um futuro não muito distante essas etiquetas inteligentes estarão praticamente em todos os produtos comprados pelos consumidores. E, principalmente, esses pequenos chips serão capazes de revolucionar a logística de estoque de muitos negócios.

Isso porque ao colocar essas etiquetas em algum produto, ele começará a passar informações sempre que receber um sinal de rádio de um sensor de rastreio.

Esse assunto pode até parecer um pouco complicado e confuso, não é mesmo? Mas, não é difícil de entender tudo o que essa tecnologia pode oferecer à área de logística. Continue a leitura para saber a respeito desse assunto.

Mas, afinal o que é RFID?

RFID o que é?

A Identificação por Radiofrequência, ou RFID, é um mecanismo que possibilita que produtos sejam identificados de forma individual. Além disso, essa tecnologia também registra as informações técnicas de cada produto e permite que ele seja rastreado.

O funcionamento do RFID depende diretamente de sistemas para o gerenciamento dos dados, leitores e antenas posicionados estrategicamente, etiquetas anexadas ao materiais e impressoras. Por isso antes de qualquer coisa é preciso estabelecer todas as bases para que seja realmente possível implantar a tecnologia.

De uma forma mais clara, as etiquetas contam com componentes eletrônicos responsáveis por registrar os dados do fabricante, o modelo e o número de série, e são colocadas em cada produto. Por sua vez, o leitor é a ferramenta usada com o objetivo de capturar os dados que são codificados pelas etiquetas. Através desse processo acontece a leitura, além do processamento e do armazenamento por meio do sistema instalado.

Na próxima fase, por fim, ocorre a integração entre as ferramentas de controle de estoque. Tudo isso para documentar todas as entradas e saídas.

Diferentemente do feixe de luz utilizado no sistema de código de barras para captura de dados, essa tecnologia utiliza a frequência de rádio.

História do RFID

É importante ressaltar também que a tecnologia RFID tem suas origens nos sistemas de radares que eram usados durante a Segunda Guerra Mundial. Para quem não sabe, os ingleses, americanos, japoneses e alemães usavam radares para conseguirem ter uma comunicação mais eficiente sobre os aviões que ainda estavam distantes.

O grande problema ainda era conseguir saber qual desses aviões era de inimigos e quais eram de aliados. Sendo assim, os alemães acabaram descobrindo que se os pilotos aliados girassem seus aviões no momento em que estivessem retornando para a base conseguiriam mudar o sinal de rádio que seria refletido de volta ao radar.

E esse acabou sendo o método que depois originou o sistema RFID. É claro que antes de surgir realmente essa tecnologia muitas descobertas foram feitas, mas o importante é entender que essa tecnologia funciona por meio de um sinal que é enviado a um transponder, o qual é ativado e reflete de volta esse mesmo sinal (sistema passivo) ou transmite seu próprio sinal (sistema ativo).

Principais vantagens do RFID

Para conseguir uma agilidade e qualidade na entrega dos produtos é necessário contar com um gerenciamento de materiais que seja eficaz. E, como já mencionado, esse é um desafio que pode sim ser superado por meio da implantação de tecnologias ou, em outras palavras, por meio da automação dos processos logísticos.

Levando isso em consideração, veja a seguir quais são os principais benefícios de usar a tecnologia RFID na área de logística como um todo:

  • Possibilita o rastreamento de objetos;
  • Faz o controle de acessos em lugares restritos;
  • Controla os produtos que estão no estoque;
  • Permite o monitoramento de ambientes;
  • Contribui diretamente com sistemas de prevenção à falsificação.

Funcionamento da tecnologia RFID na logística

Confira a seguir como se dá o funcionamento da tecnologia RFID no setor de logística.

Rastreamento

Umas das utilizações mais comuns do RFID no setor de logística está ligada ao rastreamento de produtos. Dentro de um almoxarifado, por exemplo, é possível deixar de lado a contagem manual e passar a usar apenas as informações obtidas por meio da leitura das etiquetas inteligentes.

Através dessas etiquetas os produtos podem ser rastreados em qualquer etapa da produção. Até mesmo os equipamentos que são utilizados para movimentar as cargas podem ser ligados a esse tipo de tecnologia. Dessa forma, dá para ver a localização de paletes, empilhadeiras e caminhões, por exemplo.

Estoque

O controle de estoque também é algo muito facilitado pela tecnologia RFID. Isso porque para conseguir uma atualização de todos os itens que estão em estoque é só usar os leitores que estarão posicionados ao longo de todo o almoxarifado.

O ideal é já programar uma varredura periódica para que seja possível conseguir a contagem e a localização exatas de cada item.

Cadeia de abastecimento

Para finalizar, nunca se esqueça de que os revendedores, as transportadoras, os distribuidores e os fabricantes representam alguns elos existentes dentro de uma cadeia de abastecimento. Sabe o que isso significa de uma forma simples? Significa que os processos de transporte, compra, venda, produção e compra são interdependentes.

Sendo assim, a tecnologia RFID também é muito usada na área de logística para garantir maior segurança e agilidade dos processos ligados à movimentação de mercadorias. Ou seja, essa tecnologia garante um melhor gerenciamento da cadeia de abastecimento.

Portanto, a tecnologia RFID é realmente importante para a automação dos processos logísticos. Pode-se dizer que as empresas que já contam com esse sistema apresentam melhorias como, por exemplo, processos mais eficientes com aumento da lucratividade e produtividade.

As soluções desenvolvidas pela Improtec Sistema incorporam a tecnologia de RFID e atuam em toda a cadeia logística.